Samaritanos Penha
Samaritanos Penha
 
atendimento@samaritanospenha.com.br | Telefone: (11) 2293-4111
 
 

Boa Tarde - Quinta-feira, 26 de abril de 2018

 
Samaritanos Penha
 
Amor, ódio, tristeza, alegria, solidão, raiva, angustia, frustração ansiedade, paixão .......e tantos outros....
Nossos sentimentos são muitos e, as vezes, tão confusos que nos perdemos. Mas quais são os mais importantes ?
Todos são extremamente importantes, pois somos seres humanos e os sentimentos; precisamos apenas aprender a trabalhar com eles.
Precisamos viver cada minuto com a certeza que este minuto, não voltará nunca mais. Cada momento deve ser valorizado por ser único e bem aproveitado. Devemos sentir e trabalhar nossos sentimentos como eles nos surgem e de alguma forma não despreza – los.
Muitas vezes a tristeza nos sufoca e parece que vamos explodir, outras vezes, a alegria nos invade e, não temos com quem dividi-las.
É sempre bom partilhar nossos sentimentos, sejam eles de alegria ou tristeza, pois precisamos de carinho e apoio das pessoas. Precisamos todos um do outro, trocando experiências e vivências.
Hoje em dia, a correria pela sobrevivência, não nos permite ver que ao nosso lado as pessoas estão precisando de uma palavra, um gesto, um carinho.
Nós, voluntários do Samaritanos Penha, nos unimos com a intenção de dar a essas pessoas que precisam partilhar seus sentimentos, um pouco de atenção, carinho e respeito.
Sabemos que todos estão sempre ocupados e sem ninguém para ouvi - luz e por isso, estamos disponíveis para dividir suas emoções quando vocês precisarem. Teremos um grande prazer em partilhar esses momentos com vocês.
Liguem quando quiserem ou venham nos conhecer e participar de nossos cursos para voluntários.Unidos faremos um mundo mais humano.....
TEMAS PARA REFLEXÃO
Cuidando de Nós mesmos no trabalho
Está tudo bem em termos cuidados com nós mesmos no trabalho. Isso não é apenas certo, é necessário. Cuidar de nós mesmos no trabalho significa que nós lidamos com os sentimentos apropriadamente, nos responsabilizamos por nós mesmos. Desapegamos quando precisamos nos desapegar. Colocamos limites quando é necessário.
Negociamos conflitos; procuramos separar nossas questões profissionais das nossas questões pessoais e não temos expectativas de perfeição de nós e dos outros.
Abandonamos a nossa necessidade de controlar o que não podemos controlar. Ao invés disso, nos esforçamos para ter paz e ter a capacidade de gerenciar todas as coisas, ter o poder de ser quem somos e de tomar conta de nós mesmos.
Não toleramos abusos, nem abusamos ou maltratamos os outros. Trabalhamos para abandonar nosso medo e desenvolvermos autoconfiança. Tentamos aprender com nossos erros, mas nos perdoamos por tê-los cometidos.
Tentamos não aceitar empregos nos quais não podemos trabalhar, ou empregos que não são adequados para nós. Se nos encontramos numa dessas circunstâncias, devemos abordar a questão de uma forma responsável.
Somos gentis e amáveis com as pessoas sempre que possível, mas somos assertivos e firmes quando isso é necessário.
Aceitamos nossos pontos fortes e os desenvolvemos. Aceitamos nossas fraquezas e limitações, incluindo as limitações de nosso cargo.
Paramos de nos esforçar para tentar controlar e mudar aquilo que não é de nossa responsabilidade. Focamos-nos no que é de nossa responsabilidade e no que podemos mudar.
Estabelecemos metas razoáveis. Levamos-nos em consideração. Esforçamo-nos para manter o equilíbrio.
Às vezes nos damos uma boa seção de mau humor para colocar tudo para fora, mas fazemos de forma apropriada, cuidamos de nós mesmos de uma maneira significativa e liberamos nossos sentimentos, mas não para sabotarmos a nós mesmos. Fazemos um esforço para evitar fofocas maliciosas e comportamentos autodestrutivos.
Evitamos competição, esforçando-nos por cooperação e um ambiente amoroso. Entendemos que talvez gostamos de algumas pessoas com quem trabalhamos e de outras não, mas nos esforçamos para estar em harmonia e equilíbrio com todos. Não negamos como nos sentimos com respeito a certa pessoa, mas nos esforçamos para manter um bom relacionamento no trabalho sempre que possível.
Quando não sabemos, dissemos que não sabemos. Quando precisamos de ajuda, pedimos por ajuda diretamente. Quando o pânico se instala, encaramos o pânico como uma questão separada e não deixamos que nosso trabalho e comportamento sejam controlados pelo pânico.
Esforçamos para cuidar de nós mesmos de maneira responsável quando pedimos algo que precisamos apropriadamente, assim não nos negligenciamos.
Se somos parte de uma equipe, nos esforçamos para ser um trabalho em equipe saudável de uma maneira que possamos aprender como trabalhar em cooperação com os outros.
Se algo nos deixa ou nos faz sentirmos loucos, se trabalhamos com uma pessoa que é adicta ou que tem algum tipo de disfunção que é problemática, não negamos o problema nos deixando mais loucos. Aceitamos o problema e procuramos em paz descobrir o que precisamos fazer para cuidar de nós mesmos.
Abandonamos nossa necessidade de sermos mártires ou salvadores no trabalho. Sabemos que não precisamos ficar em situações que nos tornam miseráveis. Ao invés de sabotarmos um sistema ou nós mesmos, planejamos uma solução positiva, lembrando-nos que precisamos tomar a responsabilidade por nós mesmos ao longo do caminho.
Tiramos-nos da posição de vítimas e trabalhamos acreditando que merecemos o melhor. Praticamos a gratidão, a aceitação e a fé.
Um dia de cada vez, nos esforçamos para apreciar o que é bom, resolvemos os problemas que são nossos e que temos que resolver e damos o que temos de melhor no trabalho.

Hoje prestarei atenção nos comportamentos da recuperação que eu poderia praticar para melhorar a minha vida profissional. Cuidarei de mim mesmo no trabalho. Deus, me ajude a abandonar a minha necessidade de ser vitimado no trabalho. Ajude-me a estar aberto a todas as coisas boas que estão disponíveis para mim através do trabalho.

EVENTOS
DATA E LOCAL DA REALIZAÇÃO:
05 de Maio de 2018, às 14.00hs
Curso gratuíto para Novos Voluntários
O curso sera realizado na rua Santo Afonso, 199 no bairro da Penha. Maiores informações escrever para o e-mail : atendimento@samaritanospenha.com.br ou encaminhar mensagem pelo número whatspp número 9-9422-3637.
O Samaritanos Penha também realiza cursos para voluntarios que desejam fazer divulgação nas redes sociais ( facebook, instagram, twitter ) ou em Escolas, Hospitais, Parques , Condominios e etec ). Também aceitamos sugestões de locais para divulgação do trabalho.
 
SAMARITANOS
Gostaria de se tornar um samaritano?
Cadastre-se, ou contate-nos para que possamos indicar os procedimentos...
Torne-se um samaritano...
HORÁRIOS DISPONÍVEIS PARA ATENDIMENTO
Samaritanos Penha
  PRINCIPAL
  QUEM SOMOS
  TEMAS PARA REFLEXÃO
  EVENTOS
  TELEFONES ÚTEIS
  FALE CONOSCO
  Buscar tema para Reflexão:  
  Documento sem título
 
 
Samaritanos Penha